Tv Planalto Ao Vivo

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Planalto: 20 de Novembro. Dia Nacional da Consciência Negra.

Data que foi estipulada pela Lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Uma homenagem a Zumbi dos Palmares, Líder quilombola que morreu nesta data, lutando pela liberdade do seu povo. Este dia tornou-se feriado municipal em Planalto no ano de 2016, por uma indicação do nosso companheiro e colega Vereador Flávio Nogueira. Vejo muitas pessoas dizendo que é um feriado desnecessário.













Que não se deveria comemorar porque hoje somos todos iguais. Quero dizer pra vocês que não somos todos iguais. Na verdade somos bem diferentes. Ninguém é igual a ninguém. Cada ser humano é único. O que é igual são nossos direitos, independente da religião, credo, do time que torce, do candidato que vota, da cor da pele, etc. Todos nós, cidadãos brasileiros, temos os mesmos direitos. O problema é que muitas vezes esses direitos não são respeitados. E a maioria negra não tem acesso aos serviços essenciais básicos. Existe uma discrepância absurda de garantia de direitos se comparado negros com os ditos brancos. Então porque criar o Dia Nacional da Consciência Negra? Para mostrar para a sociedade que os quilombolas existem. Que por muitos anos os negros foram privados de ter acesso à educação, a saúde, a assistência social, a moradia e vários outros direitos garantidos na constituição. E muito mais, é uma forma de recompensar a população negra por anos e anos de submissão à uma situação vexatória de escravidão no Brasil. E reconhecer que foram os negros trazidos da África e seus descendentes que mais contribuíram para a construção e desenvolvimento deste país. O racismo existe. Então dizer que não precisa de feriado, que não precisa comemorar o dia da Consciência Negra, que todos são iguais é uma forma de camuflar o racismo e a discriminação na nossa sociedade. É necessário valorizar a cultura afro descendente, gritando aos quatro cantos que existe este povo, negros, guerreiros, lutadores, agradecendo e festejando a diversidade, para que possamos refletir sobre a página triste e vergonhosa da nossa história "A escravidão", que traz resquícios até hoje na forma do racismo. Viva o Quilombo do Cinzento. Viva o Dia Nacional da Consciência Negra.
Fonte Texto:  Renê Rodrigues (  Facebook.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário