Tv Planalto Ao Vivo

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Ceará registrou 200 assassinatos no mês de julho, com 122 casos na Capital e Região Metropolitana

A “guerra” de facções e a disputa de território entre traficantes causam mortes diariamente

Cerca de 200 pessoas foram assassinadas no Ceará no mês de julho. O balanço, ainda parcial, revela que a Capital cearense foi a região do estado que apresentou maiores índices de Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs) no período. Foram 68 homicídios, latrocínios, feminicídios, lesões corporais seguidas de óbito, além de mortes por intervenção policial.
Na Região Metropolitana de Fortaleza, 54 pessoas foram assassinadas nos seguintes Municípios: Caucaia (22), Maracanaú (6), Pacatuba (6), Maranguape (3), Eusébio (3), São Gonçalo do Amarante (3), Pacajus (3), Cascavel (2), Guaiúba (2), Chorozinho (2), Itaitinga (1) e Aquiraz (1).
No Interior do estado, mais 78 pessoas foram assassinadas, sendo 44 na Região Sul (Interior Sul) e outras 34 na região Norte (Interior Norte).
O estado registrou, também, cinco mortes por intervenção policial e quatro casos de latrocínios (roubos seguidos de morte).
Agentes mortos
Dois agentes da Segurança Pública foram também mortos no Ceará no mês de julho. No dia 14, o sargento da Polícia Militar, Alveni da Silva, 49 anos, foi assassinado por assaltantes na Rua Estrada do Jatobá, no bairro Bom Jardim, em Fortaleza . E no dia 18, o guarda municipal Jackson Marques Bezerra, 37, foi executado, a tiros, no bairro Campo dos Velhos, na cidade de Sobral, na região Norte do estado.
Vinte e sete mulheres estão entre as vítimas da violência armada.
O estado registrou também em julho quatro duplos homicídios (dois em Pacatuba, um em Caucaia e outro em Banabuiú) e dois triplos (em Canindé e São Benedito).

Via Jornalista Fernando Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário